Rodelas-BA: Basta! Basta! Os rodelenses não merecem isso diz morador sobre a violência na terra do coco.

A comunidade rodelense já não aguenta mais tanta violência na terra do coco e usa as redes sociais para criticar as autoridades do município e mostra a solução do que fazer para evitar tanta violência.
Esses dias foi o Bidado. Há alguns dias duas pessoas foram mortas nas Casas Populares. No mês passado foram outras, em fevereiro e janeiro também foram registrados assassinatos em Rodelas. Alguém foi preso? Tem alguma coisa fora de ordem na cidade. Um dos índices para medir a violência letal numa cidade é verificar a quantidade de pessoas assassinadas a cada grupo de cem mil habitantes. A fórmula matemática mostra que se Rodelas tivesse cem mil moradores, 38,4 pessoas teriam sido assassinadas, apenas no quadrimestre.O resultado tem como base a população estimada em 13 mil pessoas. Se tomarmos como referência os números do IBGE, pouco mais de nove mil, as mortes intencionais saltariam para 52. É de meter medo. Em Rodelas, proporcionalmente, mata-se mais que Feira de Santana, por exemplo. É muito, levando-se em consideração que este índice no Brasil não chega a 30. Os números, frios, mostram que a nossa cidade, que já foi sinônimo de pacata, um dia, é muito violenta. Dói em reconhecer isso. Mas não podemos fingir que o problema existe. E não sabemos quando vai ser resolvido.Mas sabemos quem pode tomar o leme da situação: as autoridades municipais. São o prefeito e vereadores que tem acesso aos gabinetes dos políticos. É deles que os moradores de Rodelas devem cobrar mais do que explicações – duvido que alguém as emitam, mas soluções.Quantas pessoas serão assassinadas para que providências efetivas sejam tomadas? E elas estão aí, nas vistas de todos – tanto soluções como violência. E o caminho a ser percorrido é a prevenção. Como? A começar pela mobilização da sociedade, que pode pressionar quem colocou no poder, para que encontrem soluções.Criar o Conselho Municipal de Segurança, onde os cidadãos teriam voz, apresentariam suas ideias, seria o primeiro passo. Mas, para tanto, é necessário que as autoridades tenham coragem, determinação e comprometimento.Basta, queremos aquela Rodelas, a de açúcar, de volta.
                                                                         Batista Cruz, arfer
Redação: Tony Bahia notícias de Barra do Tarrachil-BA.